domingo, 10 de fevereiro de 2013

Adriano Nunes: "Os momentos irascíveis, sem saídas"

"Os momentos irascíveis, sem saídas"


Que arrependimento se finca em meu peito
Quando recordo as horas por mim perdidas,
- Os momentos irascíveis, sem saídas -
Ébrio, enganado por Baco, satisfeito!

Foram tantas tardes, noites mal dormidas,
Livros deixados de lado, sob o efeito
Da volúpia, do desejo, sem direito
Perceber a grã culpa, as falhas seguidas.

Agora entendo bem a perspicaz pressa
De querer o sumo de cada segundo,
A voz das Ítacas, Macondos, não essa

Vida que me furtara a vez e o profundo
Sentido do que realmente interessa.
Que acontecimento se fixa em meu mundo!

2 comentários:

Carlos Souza disse...

Belo soneto, poeta!

ADRIANO NUNES disse...

Caro Carlos,


obrigado!


Abraços,
Adriano Nunes.