domingo, 22 de agosto de 2010

ADRIANO NUNES: "Textura" - Para Mirze Souza.

"Textura" - Para Mirze Souza.



Do
Meu
Coração
Ao
Seu

Reflexo

Seu
Sou
Ou
Não
Sou

Nada

Sou
Esse
Espelho
Sem
Prata.







3 comentários:

Lara Amaral disse...

O coração parece ser só
o que reflete

o que quer refletir

às vezes é tão vazio
outras, cabe o mundo
contemplativo.

Beijos, e boa escolha de dedicatória à querida Mirze!

Mirze Souza disse...

Adriano!

Emocionada e quase sem palavras, minhas, citarei um diálogo [parte] entre Saussure e Hölderlin, citado no livro Aprendendo a Pensar de Emmanuel Carneiro Leão, e que tenho na memória:

"O poetar do poeta se concentra e recolhe na pura liberdade da espera do nada, Ser poeta é se deixar fazer todo ressonância à música inaudita do Ser, perfeita transparência à luz invisível do NADA."

Adriano, De "Textura" ao "Nada", você se fez gigante em estrutura poética.

Deixo aqui minha gratidão e o desejo de publicar este poema e linguagem poética em meu espaço!

Receba minha gratidão!

Um forte abraço!

Mirze

nydia bonetti disse...

'de onde o quebranto que transforma
o sentir em palavras
e a alquimia antiga que transmuta
a palavra em outro sentir'

de coração a coração o verso nos reflete - somos o dentro e o fora do espelho. bela, a textura dos teus versos à Mirse, Adriano. bjo, bjo.