quinta-feira, 20 de maio de 2010

Adriano Nunes: "Depois de horas" - Para Nydia Bonetti e Lou Vilela

"Depois de horas" - Para Nydia Bonetti e Lou Vilela

Agora me atravesso...
Ponte para o horizonte,
Ponte para estar longe,
Ponte pra mais além.

Lá fora me desperto
Para o tempo - que tédio!
Para a lida - que medo!
Para o verso - que amor!,

E um silêncio revolto
Captura-me... O meu ego
A temer o papel-
Alvo, o que sempre vem.




7 comentários:

Wilson Torres Nanini disse...

Adriano, muito bom o poema, o blog todo.

Estou te seguindo!!!

Abraços!

ADRIANO NUNES disse...

Caro Wilson,


Fico muito feliz e grato!

Abração.
A. Nunes.

Nydia Bonetti disse...

etérea
a ponte que atravesso

um passo

entre papel em branco
e verso

um risco

(na ponta do lápis)

Tua poesia me comove e me incita a compor, Adriano. Ter um poema teu dedicado a mim é uma honra. Dois então... :) Obrigada!

Quero levá-los para o Longitudes, possso?

Beijo.

ADRIANO NUNES disse...

Nydia,

Claro que pode. Aliás, o teu poema é lindo: Entre o papel em branco e o verso realmente há um risco: traço, perigo... o vir à tona - tudo na ponta do lápis... e para o poeta é mesmo um fim!


Abração,
Adriano Nunes.

Ana Tapadas disse...

A Nydia é excelente!
Beijinhos aos dois poetas

Lou Vilela disse...

Meu caro,

Parece que me antecipei, não? rs Como pode observar, postei seu belo poema no Nudez Poética - com os devidos créditos e agradecimento. Deixei, também, um link para divulgar seu rico trabalho.

Um grande abraço,
Lou

Mai disse...

Olá, Adriano, cheguei ao teu espaço através da Lou, na edição desse poema homenagem.

Belíssimo!

Abraços e bom final de semana.