domingo, 27 de abril de 2014

Adriano Nunes: "Da saudade que me deixas"

"Da saudade que me deixas"



Só, no quarto, antigas queixas
Invadem-me, e, irrelutante
Da saudade que me deixas,
Como fugir desse instante?

Rasteja a noite qual lesma,
E, entre leis e liames
Íntimos, verte-se a mesma
Lábia em lida: 'não me ames

Além nem te comprometas
Co' a infinitude que ao alcance
Está do olhar, feito as retas
Paralelas que, em um lance

Repentino do pensar,
Podem mesmo se encontrar'.

Um comentário:

bosquejospoesia disse...

Muito bom Adriano Nunes!!!