quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Adriano Nunes: "Pepita" - Para Glauco Mattoso

"Pepita" - Para Glauco Mattoso


Todo poema tem data
Pensada, tempo de vida
Indeterminado, lida
Com liames, nós desata,

De tudo trata, retrata
Tudo, sofre e sempre dita
A regra do jogo, fita
A métrica, toda nata

Da alma, à palavra, credita
Vingar, à luz dilatada,
Procura-a, a pura pepita

Perdida, nessa empreitada
Sináptica, não transcrita
À prova do tudo ou nada.






2 comentários:

Nydia Bonetti disse...

Este poema é uma pepita, Adriano.
De emocionar... E diz tanto do Mattoso. Tua poesia é brilhante. Gosto demaaaaais.
Abraços

ADRIANO NUNES disse...

Nydia,


Muito obrigado! Que felicidade ouvir isso!


Grande abraço,
Adriano Nunes.