sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Adriano Nunes: "Desencontro"

"Desencontro"


Eu não me encontro
Em nenhum verso.
Vivo disperso
Num desencontro

Eterno, preso
Ao tempo. Enfim,
Procuro a mim
Em mim. Que peso!

De madrugada,
Pleno apogeu:
Penso ser eu
E não sou nada.





Um comentário:

Vieira Calado disse...

Oh, meu caro,

você hoje está muito pessimista!

Somos sempre alguma coisa

mesmo que seja

"uma coisinha de nada"!...

Um abraço