sábado, 26 de março de 2011

Adriano Nunes: "Do ritmo da ilusão"

"Do ritmo da ilusão"

Sinto o meu coração
Ferindo-se no peito.
Do ferimento é feito
Um filme de ficção.

Sonho... Tudo é perfeito
A cada contração:
Que conta é a emoção
Com a qual me deleito,

O medo de um defeito,
De uma parada, não
De um sentimento vão!

Como tirar proveito
Do ritmo da ilusão
Se as coisas reais são?






Um comentário:

betina moraes disse...

é uma pergunta considerável,

no teu verso a resposta está no poeta!


como é belo o seu trabalho, querido.

um beijo.