sábado, 7 de fevereiro de 2009

Adriano Nunes: "No mínimo"

"No mínimo"


Pra vós,
Ó, Ninfas,
Que deve ser o sofrer,
O desprezo por instinto,
As sombras,
As sobras
Do ver,
Outro dia a mais já findo,
Que então deve ser o amor
Maior, 

No mínimo?

Pra ti,
Ó, lago,
Que deve ser o prazer,
O sentir-me consumido,
O espelho,
O espectro,
A espera,
Um tempo a mais destruído,
Que deve ser essa dor
Que só

Eu sinto?

O salto

À água,
A imagem despedaçada,´

O risco de achar-me líquido,
A face,
A falha,
A falta,
O quanto a beleza exorta,
O que se verteu, sem volta,
Em flor,

Narciso.

7 comentários:

Héber Sales disse...

que dever ser
o não-ser
o vazio
o desejo
quando dele rio?

o baque do teu poema, adriano, é barulhinho bom.

um abraço

ADRIANO NUNES disse...

Héber,

Obrigado por suas palavras!


Abraço forte!
Adriano Nunes.

romério rômulo disse...

adriano:
a poesia caminha bem por aqui.
um abraço.
romério

ADRIANO NUNES disse...

Romério,

Muito obrigado!
Abraço forte!


Adriano Nunes.

Ana Tapadas disse...

Poema lindo!
Beijinho

Barkaça disse...

bakana Adriano!
é a primeira vez q visito o blog
aproveito e deixo o endereço dos folhetos BARKAÇA
pra trocarmos umas figuras
abraço
dioli
barkaca.blogspot.com

Vieira Calado disse...

Olá, amigo!

Andei por aqui a dar uma volta e achei interessante.

Um abraço