domingo, 9 de dezembro de 2012

Adriano Nunes: "Sobre silêncios"

"Sobre silêncios"



Enquanto me disperso
Em táctil sonho, um verso
Surge, súbito, sela
Sua existência bela

Na folha em branco, veste-se
De si... Mas este se
Despe de mim, bem sei,
Não segue qualquer lei,

Vinga sobre silêncios,
Vincula-se a silêncios
De silício, à emoção
De vir doutra emoção.

Um comentário:

Anna Amorim disse...

o abandono do poeta, entre a comunhão e separação de sua escrita!

Belo, poeta

Anna Amorim