domingo, 3 de julho de 2011

Adriano Nunes: "soneto cibernético"


"soneto cibernético"



acesso: quimera ponto com ponto...
sobre a tecla o infinito espera e pronto:
aberto o cosmo, clica-se no canto
da página: nova página. enquanto

o programa não responde de pronto,
leio emeios, compro, pesquiso, apronto,
copio, colo, outra janela... espanto-
me: vejo em redor, que mágico encanto!

insiro-me em  sites...  tempo  medonho.
em bate-papos: nicks, fakes... me exponho.
blogs youtube facebook... tudo estranho.

esse mundo agora não tem tamanho:
armazeno-o, adiciono-o, componho-o,
navego-o, divulgo-o, deleto-o... sonho!

2 comentários:

Louise Lou disse...

Hyperrêve...Bonito.

carmen silvia presotto disse...

Em teu versos um novo cotidiano...te leio e me sinto.

Beijos.

Carmen.