quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Adriano Nunes: "Confissão"

"confissão"




engulo gullar
durmo com drummond
sou uma pessoa
ando muito a pé
pecador de ofício
dou tanta bandeira
na visão, dois campos
na razão, mil anjos
às quintas, quintana
que sei mais de mim?
descubro cabral
conto pra caminha
confesso a vieira
onde está waly?
no ar? nos túneis? nada!
eu, nunca? nem ela,
minha piva, adélia.
pra circe ou cecília?
os outros, os outros...
lamento, leminski!





2 comentários:

Marcio Nicolau disse...

Já havia lido o poema. Extraordinário.

ADRIANO NUNES disse...

Caro Márcio,


Obrigado por suas palavras!


Abraço fraterno,
A. Nunes.