quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Adriano Nunes: "Suave Coisa"- Para Mariana Botelho

"Suave Coisa" - Para Mariana Botelho


Aqui, toda coisa é certa
Medida, de peso. A métrica
Risca a vima e tudo arrisca,
Até mesmo a rima flerta.

A natureza de um verso
É sempre farsa. Só dura
O sonho. Talvez, loucura
Seja ver do modo inverso

Ou tecer o avesso em tédio,
Entre as tramas. Termo médio,
Nosso tempo, uma equação

Que se dá no coração:
As coisas são como são
E não há nenhum remédio.

3 comentários:

Mariana Botelho disse...

Adorei! rs

abraço grande procê.

Nydia Bonetti disse...

Adriano

A poesia de Mariana é bem assim: na medida certa, de peso... e leve. Gosto muito.

beijo

Flávio Corrêa de Mello disse...

Olá Adriano,
de fato, você está soberbo na arte de fazer os sonetos. Fase boa que se mantém em alta.

abraços!