quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Adriano Nunes: "Ictus cordis" - Para Antonio Cicero.

"Ictus cordis" - Para Antonio Cicero



Madrugada. Onde será
Que se escondem os meus desejos,
Por quais portas partem de mim
E migram, sem paz, para a sala,
Para os livros, por corredores,
Em silêncio, dando mil voltas
Em redor das horas, sem fim?
Ulisses não volta e convence-me

De que o azul se perde no céu,
Ante a alvura veloz das nuvens, 
Ante a dispersão distorcida
Do dia: são diagonais
Diferentes ferindo os vértices
Da alegria e da grã leveza,
Sorvendo as margens da manhã.
Não ficaram só meus remorsos

Mórbidos, em órbita, n'alma,
Nos desencontros da saudade...
Outrora, feliz fui somente
E fugi de mim feito espectro
Forçado a ver-se em esperanças.
Outra ilusão? Outra vertigem
Diverte assim meu coração
Em desespero. Os nossos corpos

Confundiram-se em formas, sóis
Do veneno de algum vernáculo.
Nada me deixa respirar,
E a vida revira-se e some
Pelo circo das circunstâncias,
Enquanto Circe me circunda,
E o seu feitiço é feito: não
Há mais a noite e nem a névoa

Sobrevoando o breve instante.
Cobiço a luz da Estrela D'Alva,
Pela vidraça da janela, 
E brando brilho me embriaga.
Dentro de mim, o que supus
Ser, lá fora, grita: quem sou?
Daqui, vejo a chuva fluir....
Forjam-se véus em meu ser só.

À madrugada, quem verá
O meu sonho trilhar por todos
Os propósitos das galáxias,
Vagar pelas frestas dos frêmitos
Do existir que, mesmo ferido,
Pulsa, Gáveas, Grécias, Galápagos,
Galgar, desprender-se do tédio,
Despertando pedras e, passo

A passo, portões, precipícios
Profundos, pensamentos, prados,
Pontes, paredes, torres, trânsito,
Planícies, planaltos, províncias,
Prédios, trincheiras, tribunais,
Ultrapassar? E Como não
Amar a aurora, com as áureas
Proezas de um belo poema?





4 comentários:

Ana Tapadas disse...

Olá!
Belo poema.
Só cheguei agora.
Olha, é muito fácil:
copias os códigos e colas em «adicionar HTML» - como fizeste com a barra de video, exactamente.
Vê se consegues, senão mando ex em mail.
BJS

CECILE PETROVISK disse...

Adriano, meu lin"DINHO"

Lindo!
Obrigada, por tudo!


Beijos,
Cecile.

Lou disse...

Mais uma bela homenagem, Adriano! O desfecho está maravilhoso e me deixou encantada.

Abraços,
Lou

Palavras de um mundo incerto disse...

Meu amigo, que belo poema. Ele é duma estrutura espetacular.

Adorei!!!


Abraços!!!


Marcos Seiter