segunda-feira, 20 de julho de 2009

Adriano Nunes: "Memória"

"Memória"


Volto dos versos
Em convulsão.
Que vultos são
Esses dispersos


Em minha mente?
Que vozes vêm
Varando o além,
Tão de repente,


Amedrontando-me,
Apavorando-me,
Nessa manhã?


Por que não some,
De vez, seu nome,
Ó musa vã?




Poema inédito, postado pelo meu amigo Domingos da Mota em seu belo blog Fogo Maduro  em 16/07/2009.








4 comentários:

Ana Tapadas disse...

Belo o poema de teu amigo.
No meio de muito trabalho de final de ano lectivo e...no meio das inúmeras consultas médicas de minha mãe..
Voltarei com vagar para ver o blogue do teu amigo.
Beijo

Bipede Implume disse...

Fui ler os sonetos que tens postado e..são lindos. Pequeninas obras de arte.
Também amo Walt Whitman.
Que bom ler a tua poesia, meu amigo.
Beijinhos.
Isabel

ADRIANO NUNES disse...

Ana,

O poema é meu mesmo. Apenas foi postado no belo blog do meu amigo Domingos da Mota.


Abração!
Adriano Nunes.

ADRIANO NUNES disse...

Isabel,

Obrigado pelas palavras!


Abração!
Adriano Nunes.