sábado, 27 de dezembro de 2008

Adriano Nunes: "À vida, vasta cova" - Para Eric Liddel

"À vida, vasta cova" - Para Eric Liddel


O que está só por vir,
Por que queremos tanto?
Um novo ano chegando,
Por amor ao devir?

As cruzes do amanhã,
Em breve, nascerão.
Que espera o coração?
Das deusas artesãs,

Um novo ano, sim, vem.
Trazendo duras-novas,
Move-se como nuvem

E nada mais comprova.
Por que tudo convém
À vida, vasta cova?





4 comentários:

Arthur Nogueira disse...

Adriano,

belo poema. Já havia lido seus versos nos comentários do blog de Cicero e gostava. Passarei a visitá-lo aqui.

Um abraço,

A.

Mariano disse...

Poema sublime!

Janaina Amado disse...

Gostei muitíssimo, Adriano.
PS - Quando você vai reunir poemas para o primeiro livro? Acho que precisa, são coisas diferentes, um livro e um blog. Nenhuma melhor, só diferentes. O livro costura uma unidade, mesmo que efêmera, unidade do poeta. Pense nisso para 2009!!!

CECILE PETROVISK disse...

Adriano,


Belo poema!


Cecile.