sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Adriano Nunes: "Soneto VIII"

"Soneto VIII"


Quando te vejo, tudo vibra,
Minha vida, todo universo.
Parece que nada mais quero.
É como se perdesse a fibra.

Depois, o meu mundo é desfeito,
Mas permanece tua imagem.
Eu nunca sei por que interagem
Os sonhos dentro do meu peito.

Mesmo confuso, não te busco
Nas batidas do coração.
Quando banido desse brusco

Desejo da minha visão,
Quase pára. Tudo rebusco
Na minha alma: que solidão!







Nenhum comentário: