sexta-feira, 20 de maio de 2011

Adriano Nunes: "Vernáculo" - Para Adriana Calcanhotto


‎"Vernáculo" - Para Adriana Calcanhotto


Escondido em minha mente, 

Sem memória não quer sair...

E busco freneticamente A RIMA
Numa luta logo acima de toda razão. 

Tão minha, a imagem precisa oculta-se.

Desesperado,
Vou ao fundo do vernáculo, 

Perdendo-me ao acaso
Como o ocaso se perde
Em minha visão.

Quando pareço desistir 

Da palavra certa,
Que a incerteza ME DIZ SER esta,

Fico lembrando-me de passar a mão à testa, e

Na dificuldade de achá-lo,
Ó vocábulo astuto e hostil,
Perco-o, em minha pressa,
E tudo parece que cessa.

Ai, quem me dera
Pôr a vida A CURTO FIO
E com UMA NAVALHA
Nas gretas do coração
Arrancar-lhe a esperança
De fazer um verso,

Somente um verso.





2 comentários: