sexta-feira, 13 de maio de 2011

Adriano Nunes: "O artesão" - Para Antônio Francisco Lisboa

"O artesão" - Para Antônio Francisco Lisboa


Agora
Agir

As mãos 

À prova

Argila
Girando 


Girando 
Gerando

As veias
As vísceras


As vias
A vida


Argolas
Auréolas


Auroras

O ato

O mundo

Afaga

E muda
E molda

A mola
O mármore


A árvore

A fonte

O membro 

Disforme

A manobra
A água


O barro

O báratro

Do olhar
O homem

Estátuas
Estéticas


Estímulos
O tempo 


Desdobra-se
O invento


Os santos 

Gerais

As minas 

Do âmago

A obra


2 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Adriano.

Como sempre, um espétaculo de poema! Adoro sua forma de versar, de expressar poesia.

Grande abraço. :)

Ana Tapadas disse...

Dinâmico o ritmo. Belo.
Beijo