quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Adriano Nunes: "Termômetro"

"Termômetro"




Estranho brinquedo
De mercúrio. Tudo
Desloca-se mudo,
Em um tubo vítreo.

Escala de graus,
Estado febril,
Desespero a mil...
Estou resfriado.

Descubro o metal
Líquido, de prata
Cor... À tez do peso,
O susto: Fragmentos

De vidro... Tão vivos!
Sub-reptício sonho
De menino astuto,
Entre cacos, medos.






Um comentário:

Lara Amaral disse...

Que máximo, Adriano, o objeto tornou-se vivo. Muito bom!

Beijo.