quarta-feira, 13 de junho de 2012

Adriano Nunes: "Máquina de engendrar quimeras"

"Máquina de engendrar quimeras"



Enquanto espero 
Que o inesperado me sequestre

O meu coração pira, ao ter que
Presumir ser

O teu espectro 
Qualquer pedestre
Que passa, porque muito quer,
E acredita que, estando preso

Às batidas desse momento,
Alcance o que
Demais o agrada, o que lhe serve
De luz, de bem.

É tudo ou nada, não tem jeito.
Arranquem de mim, tirem mesmo,
Essa máquina de quimeras, 

Do meu mediastino médio!

2 comentários:

rodrigo tomé disse...

Maldoror está vivo dentro de você, amigo, de voc e de dentro de tuas quimeras. Parabéns!

ADRIANO NUNES disse...

Caro Rodrigo,


grato!


Adriano Nunes